Sábado, 2 de Fevereiro de 2008

The Sweetest Thing



Toda a gente que me conhece um bocadinho, ou que anda atenta aqui ao blog, sabe que se há coisa que eu gostei de ver foi Gilmore Girls. Não porque tem relações ou porque é parecido com uma novela. Sim, isto até pode ser verdade, mas para mim foi bem mais do que isso.

Foi uma produção que durou sete anos, começando em 2000 até ao passado 2007. Lauren Graham, interpreta Lorelai Gilmore, a mãe que é também melhor amiga e que está sempre do lado da filha Rory (Alexis Bledel). Basicamente, tudo se passa em Stars Hollow, uma pequena cidade onde todos se conhecem, e onde todos conhecem Luke (Scott Patterson), o dono do diner mais cool da cidade, (onde o uso de telemóveis é proibido) e é aí que as Lorelais passam a maior parte do seu tempo a beber café, a conversar e a beber café. As relações estão muito presentes nesta série, começando pela mãe-filha (com uma química entre Lauren e Alexis brilhante).

Acompanhamos o crescimento de Rory (entre livros e mais livros) que é criada inicialmente pela mãe e mais tarde com a ajuda dos avós e do pai. Desde o liceu até à sua formação em Jornalismo em Yale. É a miúda mais doce da cidade, e que toda a gente adora. Rory tem uma amiga de infância, a coreana Lane, (que ao longo da série faz referências musicais interessantíssimas, como por exemplo The Smiths, The Flaming Lips e Arcade Fire) que acaba por ser, tal como Lorelai, mãe adolescente.

Não se aprende nada de novo a ver Gilmore Girls, tudo se resume apenas à história de uma mãe e de uma filha. O que se ganha é a possibilidade de acompanhar muitas e muitas peripécias, e se não for mais, uma maneira de ver a vida de uma forma mais levezinha e cheia de sorrisos.

Durante 154 episódios muita coisa se passou, desde conversas sobre montanhas-russas até alguém decidir ficar suspenso numa caixa de vidro, no meio de cidade, só porque lhe apetece. É-me assim impossível referir tudo o que gostaria, mas aqui fica a minha pequena homenagem a Amy Sherman-Palladino, e ao elenco de GG, por me fazer sentir como se fizesse parte da família durante tanto tempo.

tags:

publicado por Ângela às 00:00
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De João a 2 de Fevereiro de 2008 às 12:44
Segundaaa :D


De Ângela a 2 de Fevereiro de 2008 às 12:48
Esses comentários :P

Beijo *


De Inês Reis a 19 de Fevereiro de 2008 às 19:19
Adoro a série :D


Parabéns pelo óptimo trabalho desenvolvido no blog.


Comentar post

Quem manda aqui

Fresquinho fresquinho

Relações

Para ver em Abril

Preferências

Boas Festas

Música em 2009

2009 no Last.fm

Uma luz

Lista de prendas

The Past is a Grotesque A...

Novos vícios - 6

Sweet Dee has a difficult...

Boas notícias via Twitter

Cartões

Rádio

The Past is a Grotesque A...

Velharias

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Pesquisar

 

Links

O que vi...

tokyo monogatari

O que ouvi...

Feeds