Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

O Maravilhoso Mundo dos Clarinetes


Continuando o destaque anterior, trago-vos mais uma banda portuguesa. Num registo bem diferente de tudo o resto que ouço, os Clarinetes Ad Libitum, conjunto português composto por quatro clarinetistas e um percursionista, proporciona-nos uma viagem pelo mundo instrumental, que vai desde o jazz até ao folk.
Posso afirmar que Contradanza (álbum de 2006) é tão agradável como viciante, e merece ser ouvido por todos, nem que seja para constatar que se fazem realmente coisas muito interessantes por cá.
tags:

publicado por Ângela às 22:17
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 29 de Abril de 2008

O que é nacional é bom



Os a Jigsaw são uma banda de Coimbra, que apesar de já existir há uns anos, apenas recentemente lançou o primeiro álbum. Esse facto permitiu que sejam hoje em dia uma banda muito madura, com um som pouco vulgar em projectos nacionais.
Letters From the Boatman traz-nos uma mistura de folk com blues e country, e uma voz muito característica e agradável. Com uma produção um pouco melhor e mais profissional, este álbum tinha condições para captar muitas atenções e catapultar a banda para uma projecção nacional.
Para quem tenha curiosidade, pode ouvi-lo na íntegra aqui.
tags:

publicado por André às 20:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 28 de Abril de 2008

Os Meninos do Coro



Os Coristas (Les Choristes) foi do mais apaixonante que vi recentemente. Nomeado em 2005 para melhor filme estrangeiro, mostra uma turma de rapazes, alguns deles orfãos, que têm vários problemas. Com a chegada do encantador novo supervisor Clément Mathieu (Gérard Jugnot), forma-se um coro.
O que mais me marcou neste filme foi a expressão das crianças quando se apercebem que realmente há alguém que acredita neles, e quando sentem que fizeram algo que merece ser reconhecido, e essa descoberta foi do mais mágico que pode existir. Sendo o coro a verdadeira razão para tudo isto, a música marca também uma importante presença no filme.
É o filme ideal para quem ainda acredita que a música faz sonhar, e bem alto.

tags:

publicado por Ângela às 13:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 27 de Abril de 2008

Dicas da Semana #16

Os Mutantes – Os Mutantes (1968)




Esta banda brasileira, que deu o concerto mais interessante do Delta Tejo do ano passado, conta já com mais de quarenta anos de existência. Este álbum é o ideal para estes dias de calor, apesar de estranho (ouçam Baby) é bastante fresco e apaixonante (ouçam Minha Menina).

 

Artistas Semelhantes: Rita Lee, Caetano Veloso



Blade Runner – Perigo Iminente (1982)



De: Ridley Scott
Com: Harrison Ford, Rutger Hauer, Sean Young, Daryl Hannah

A obra-prima de Ridley Scott. Inspirado numa obra do mestre Philip K. Dick, Blade Runner é um dos melhores filmes de ficção científica de sempre.
Em Los Angeles, 2019, Rick Deckard (Ford) é um polícia obrigado a adiar a reforma para perseguir e eliminar um grupo de réplicas humanas rebeldes que escaparam de uma colónia e se dirigiram para a Terra.
Uma visão negra de um futuro não muito distante, com Rutger Hauer no seu papel mais marcante.
De destacar que no final do ano passado foi lançado o muito esperado Final Cut, versão alongada cujo processo de produção foi totalmente controlado pelo realizador. Infelizmente em Portugal foi quase ignorado, e muito poucas salas decidiram passá-lo.

publicado por Ângela às 23:13
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

O Mandarim



«No fundo da China existe um mandarim mais rico que todos os reis de que a fábula ou a história contam. Dele nada conheces, nem o nome, nem o semblante, nem a seda de que se veste. Para que tu herdes os seus cabedais infindáveis, basta que toques essa campainha, posta a teu lado, sobre um livro. Ele soltará apenas um suspiro, nesses confins da Mongólia. Será então um cadáver: e tu verás a teus pés mais ouro do que pode sonhar a ambição de um avaro. Tu, que me lês e és um homem mortal, tocarás tu a campainha?»

publicado por Ângela às 19:12
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Abril de 2008

Expectativa



Depois de ouvir falar deles num blog amigo, fui ouvir Sun Giant, EP dos promissores Fleet Foxes, e devo dizer que aguardo ansiosamente por ouvir o álbum homónimo de estreia.
Vai com certeza surpreender muita gente, e entrar em muitas listas de revelações do ano.
tags:

publicado por André às 14:54
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 20 de Abril de 2008

Dicas da Semana #15

Death Cab For Cutie – Transatlanticism (2003)

 



O melhor álbum do principal projecto de Ben Gibbard, e uma das melhores e mais experientes bandas de rock independente americanas.

Frio, escuro, introspectivo e muito bom, Transatlanticism deu-me a conhecer algumas das minhas músicas preferidas, como Tiny Vessels, Title and Registration e a faixa homónima.


Artistas semelhantes: The Shins, Bright Eyes, The Postal Service

 

 

Bom yeoreum gaeul gyeoul geurigo bom – Primavera, Verão, Outono, Inverno… e Primavera (2003)

 


De: Kim Ki-duk
Com: Kim Ki-duk, Kim Young-min, Ha Yeo-jin

Adoro este filme por mostrar tão bem como existe uma ligação entre as estações do ano e os estádios da vida do ser humano. A Primavera como a infância, o Verão como adolescência, e por aí adiante. É um filme em que a história se desenrola muito lentamente, mas sem nunca cansar. E se isso pode desagradar alguém, as paisagens valem a pena o esforço. E de que maneira!

 


publicado por André às 22:41
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

Trois couleurs

A primeira vez que soube da existência desta trilogia, a curiosidade invadiu-me imediatamente, simplesmente pelos nomes interessantes de cada uma das partes. Encontrei as três à venda e por um preço bem considerável (numa altura em que as finanças permitiram) e lá decidi comprar, e devorá-las de seguida.


Bleu - Azul



Começou em 1993 com Azul. A história é simples, Julie (Juliette Binoche) é uma compositora que tem que lidar com a morte do marido e da filha num acidente de carro, a que ela sobrevive. Até agora nada de especial, o que torna este filme numa experiência interessantíssima é a maneira como é filmado. Os pormenores estão sempre lá: a maneira como se toca nas coisas, como se observa, tudo pormenorizadamente mostrado.

O azul (como seria de esperar) aparece várias vezes, principalmente nos sonhos de Julie que quando fecha os olhos a musica e a cor invadem os seus pensamentos, e é sempre tão mágico.



Bialy - Branco



A história de Karol Karol (Zbigniew Zamachowski), que se muda para Paris quando se casa com Dominique (Julie Delpy), e que acaba por regressar à sua terra após esse mesmo casamento ter chegado ao fim. A história gira à volta desse mesmo homem a construir uma enorme fortuna e a fingir a sua própria morte para que a ex-mulher veja que ainda o ama.

De realçar ainda que o filme acaba com uma das cenas mais românticas que já tive oportunidade de ver.

Quanto ao branco, aparece apenas na neve, e no vestido de noiva de Dominique, cuja imagem aparece bastante durante a película.



Rouge - Vermelho



Terceira e última parte desta trilogia, e a parte em que a cor marca uma maior presença, está por toda a parte: carros, paredes, etc. A história centra-se numa modelo (Irène Jacob como Valentine), que depois de ter atropelado uma cadela, conhece um senhor que vai mudar tudo, até mesmo os objectivos que ela tinha definido para si. Com o desenrolar da história, num sentido bem poético, aproxima-se o final que conjuga as três partes num momento perfeito e ainda mais inesperado que deve ser visualizado para ser sentido.


Três enormes vénias ao Senhor Krysztof Kieslowski.


publicado por Ângela às 14:56
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quarta-feira, 16 de Abril de 2008

FCP vs. SCP



Não se deixem enganar pelo medo que o Dragão parece demonstrar na imagem!
Vamos comê-los, carago!
tags:

publicado por Ângela às 22:44
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Domingo, 13 de Abril de 2008

Dicas da Semana #14

Okkervil River - Down the River of Golden Dreams (2003)



O meu álbum favorito dos Okkervil River (e podem ler a história aqui), bem mais calminho, e ao mesmo tempo, bem mais poderoso do que o mais recente The Stage Names. Este álbum oferece-nos músicas belíssimas, desde Down the River of Golden Dreams até Seas Too Far to Reach passando pelas minhas muito amadas The War Criminal Rises and Speaks e The Velocity of Saul at the Time of His Conversion.

Artistas Semelhantes: Shearwater, Neutral Milk Hotel, The National


Apocalypse Now – Apocalipse Now (1979)



De: Francis Ford Coppola
Com: Marlon Brando, Martin Sheen, Robert Duvall

Um dos melhores, se não o melhor, filme feito sobre a guerra do Vietname.
O capitão Willard (Martin Sheen) é enviado numa missão pela selva cerrada do Cambodja a fim de eliminar o Coronel Kurtz (Marlon Brando), um boina verde renegado que se acredita estar louco, e que controla um pequeno exército rebelde. À medida que avança pelo rio Nung, aumenta a tensão psicológica e a pressão da própria selva, e Willard começa a ficar na mesma condição do homem que persegue.
Interpretações marcantes de Martin Sheen, Marlon Brando e Robert Duvall num filme dirigido com mestria por Francis Ford Copolla.

publicado por Ângela às 21:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

Filmes que mudaram a minha vida #4



Se7en, 1995

David Fincher é o meu realizador favorito. Não bastava Fight Club, também nos deu Se7en, um thriller quase perfeito, com um elenco magnífico, com nomes como Brad Pitt, Gwyneth Paltrow e Morgan Freeman, que nos agarra do princípio ao fim.

publicado por André às 13:40
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 9 de Abril de 2008

E outra vez...



Para continuar a onda de nostalgia do meu anterior post vou deixar-vos aqui mais uma pérola do passado. O fenómeno chamava-se Baywatch (como de certeza que já identificaram pela foto) e tinha o genérico perfeito, se não vejamos: a música é dos mais animada e facilmente decorável que pode existir; as paisagens eram sempre lindas, e os actores idem. Se encontrarem algo tão perfeito, avisem.

tags:

publicado por Ângela às 18:50
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 8 de Abril de 2008

Gosto quando não me desiludem



Lady Cobra é o muito aguardado primeiro álbum dos portugueses Riding Pânico. Depois do hype gerado pelo EP homónimo, a banda que tem elementos de If Lucy Fell e Men Eater apresenta-nos a confirmação que são um dos mais interessantes projectos da música portuguesa.
Embora esteja longe de ser original ou inovador, Lady Cobra é muito seguro e consistente, e demonstra uma invulgar maturidade para uma banda, que apesar de jovem, é já um dos principais nomes do panorama post-rock nacional.
tags:

publicado por André às 19:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 7 de Abril de 2008

Ai, saudade...



Ontem dei por mim a ouvir o primeiro álbum que adquiri em formato físico.  Já lá vão quase dez anos que este ...Baby one more time foi lançado, e vendeu, nada mais nada menos, que 28 milhões de cópias! Britney (por muitos chamada de princesa da pop) teve com este álbum os seus 15 minutos de fama, vindo a decrescer sempre com as fabulosas histórias que todos nós conhecemos.
Quero então fazer aqui um apelo: por três minutos, deixem de lado todos os Arcades Fires, Radioheads ou mesmo os Beatles deste Mundo, e matem as saudades de um dos maiores hits de sempre da música pop. Quem discordar, não teve uma infância feliz, obviamente. :)

tags:

publicado por Ângela às 14:29
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Domingo, 6 de Abril de 2008

Dicas da Semana #13

Explosions In The Sky - The Earth Is Not a Cold Dead Place (2003)



Um dos melhores álbuns de post-rock instrumental de sempre, de uma das bandas mais conhecidas e respeitadas do género.
Com apenas cinco faixas, mas todas elas acima de oito minutos, ouvir The Earth Is Not a Cold Dead Place torna-se uma experiência transcendente que toda a gente deve experienciar um dia...

Artistas semelhantes: Mogwai, Godspeed You! Black Emperor, Mono


The Birds – Os Pássaros (1963)



De: Alfred Hitchcock
Com: Rod Taylor, Tippi Hedren

Melanie (Tippi Hedren) é uma mulher bem sucedida que decide seguir Mitch (Rod Taylor) após um encontro numa loja de pássaros. Quando chega a Bodega Bay (cidade onde Mitch passa os seus fins-de-semana), é atacada por uma gaivota, e a partir desse momento vários ataques por parte dos pássaros acontecem. Este filme é tão intenso que se torna o ideal para quem quer ficar arrepiado, cada vez que vê ou ouve um pássaro.

publicado por André às 20:46
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Quem manda aqui


ver perfil

. 9 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fresquinho fresquinho

Relações

Para ver em Abril

Preferências

Boas Festas

Música em 2009

2009 no Last.fm

Uma luz

Lista de prendas

The Past is a Grotesque A...

Novos vícios - 6

Sweet Dee has a difficult...

Boas notícias via Twitter

Cartões

Rádio

The Past is a Grotesque A...

Pesquisar

 

Links

O que vi...

tokyo monogatari

O que ouvi...

Feeds