Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

Trois couleurs

A primeira vez que soube da existência desta trilogia, a curiosidade invadiu-me imediatamente, simplesmente pelos nomes interessantes de cada uma das partes. Encontrei as três à venda e por um preço bem considerável (numa altura em que as finanças permitiram) e lá decidi comprar, e devorá-las de seguida.


Bleu - Azul



Começou em 1993 com Azul. A história é simples, Julie (Juliette Binoche) é uma compositora que tem que lidar com a morte do marido e da filha num acidente de carro, a que ela sobrevive. Até agora nada de especial, o que torna este filme numa experiência interessantíssima é a maneira como é filmado. Os pormenores estão sempre lá: a maneira como se toca nas coisas, como se observa, tudo pormenorizadamente mostrado.

O azul (como seria de esperar) aparece várias vezes, principalmente nos sonhos de Julie que quando fecha os olhos a musica e a cor invadem os seus pensamentos, e é sempre tão mágico.



Bialy - Branco



A história de Karol Karol (Zbigniew Zamachowski), que se muda para Paris quando se casa com Dominique (Julie Delpy), e que acaba por regressar à sua terra após esse mesmo casamento ter chegado ao fim. A história gira à volta desse mesmo homem a construir uma enorme fortuna e a fingir a sua própria morte para que a ex-mulher veja que ainda o ama.

De realçar ainda que o filme acaba com uma das cenas mais românticas que já tive oportunidade de ver.

Quanto ao branco, aparece apenas na neve, e no vestido de noiva de Dominique, cuja imagem aparece bastante durante a película.



Rouge - Vermelho



Terceira e última parte desta trilogia, e a parte em que a cor marca uma maior presença, está por toda a parte: carros, paredes, etc. A história centra-se numa modelo (Irène Jacob como Valentine), que depois de ter atropelado uma cadela, conhece um senhor que vai mudar tudo, até mesmo os objectivos que ela tinha definido para si. Com o desenrolar da história, num sentido bem poético, aproxima-se o final que conjuga as três partes num momento perfeito e ainda mais inesperado que deve ser visualizado para ser sentido.


Três enormes vénias ao Senhor Krysztof Kieslowski.


publicado por Ângela às 14:56
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De sonjita a 18 de Abril de 2008 às 17:17
Realmente parece muito interssante... fiquei curiosa.
BJokas


De Ângela a 18 de Abril de 2008 às 17:21
7,90€ cada, na worten. Na fnac parece que é 9€. :)
Vale a pena.

Beijo *


De Red Dust a 19 de Abril de 2008 às 10:18
Para quem goste de ter a sua colecção caseira de DVD's vale bem a pena ter esta trilogia das cores.

Os que mais gostei foram 'Azul' e 'Vermelho', mas 'Branco' é também um filme interessante.

Curiosamente tanto votamos em tops de trilogias e esta, de forma imerecida, é sempre esquecida.


De Ângela a 19 de Abril de 2008 às 12:55
Não achaste aquele final do Branco uma coisa linda?
Não consigo escolher entre os 3, por acaso :)

Beijo *


De ET a 20 de Abril de 2008 às 19:31
Parece que vou ter de juntar uns tostões! Já tinha ouvido falar mas não conhecia pormenores.Agora fiquei convencida. Obrigada!
Parabéns pelo blog! Excelente!


Comentar post

Quem manda aqui


ver perfil

. 9 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fresquinho fresquinho

Relações

Para ver em Abril

Preferências

Boas Festas

Música em 2009

2009 no Last.fm

Uma luz

Lista de prendas

The Past is a Grotesque A...

Novos vícios - 6

Sweet Dee has a difficult...

Boas notícias via Twitter

Cartões

Rádio

The Past is a Grotesque A...

Pesquisar

 

Links

O que vi...

tokyo monogatari

O que ouvi...

Feeds