Domingo, 14 de Setembro de 2008

Dicas da Semana #33

Por Rute Correia :

 

Madredeus – Electronico (2002)

 

De repente, o mundo pára. Naquele ínfimo instante de silêncio, ficamos à espera que recomece. Lá ao fundo, ouvimos uma guitarra a caminhar para junto de nós. Quando chega, traz consigo a voz das nossas vidas e uma nuvem de sons etéreos e artificiais. Já ouvimos esta canção vestida de outra forma, de algodão, linho e seda, mas o plástico da electrónica faz com que seja novidade por inteiro. Não, não é uma remistura. É uma música de tempos antigos vestida a preceito para a modernidade que aí vem.
O álbum Electronico dos Madredeus é a prova viva de que a música “tradicional” se pode misturar com os ares da electrónica, sem que se perca conteúdo ou beleza. Com a ajuda de nomes como Télépopmusik ou Craig Armstrong, os Madredeus tornam-se pais de algumas pérolas da electrónica contemporânea. Para ouvir de uma ponta a outra, sem intervalos.

 

Artistas Semelhantes: Mariza, Teresa Salgueiro, Rodrigo Leão

 

 

Trainspotting (1996)


De: Danny Boyle
Com: Ewan McGregor, Ewen Bremner, John Lee Miller, Robert Carlyle, Kelly Macdonald
 

Edimburgo, Escócia, algures no início dos anos 90.
Mark Renton e os amigos são só mais alguns dos jovens que ficaram agarrados à heroína naquela cidade. Esta é a história deles, ainda que não tenha início nem fim. Tudo começa sem que se dêem conta de que escolheram o caminho errado, ou de que alguém à sua volta o fez por si. Depois, vem o medo: do escuro, de não arranjar droga, da ressaca, da SIDA, da morte, de não conseguir largar, de não saber existir. No fim de tudo, resta apenas a verdade absoluta de que nos tornamos aquilo que escolhemos.
Com um argumento adaptado do romance de Irvine Welsh com o mesmo nome, Trainspotting é um filme intenso e envolvente. Através de vários episódios, conseguimos construir e sentir a existência de cada um dos intervenientes da acção. Pelas mãos de Renton, Begbie, Spud, Sick Boy (“Marado”), Diane e Tommy mergulhamos no submundo da década passada para perceber que a droga era o futuro que grande parte da juventude desenhava para si.


publicado por Ângela às 21:26
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Loot a 17 de Setembro de 2008 às 02:02
Gostei muito desse álbum foi algo diferente na discografia dos Madredeus e eles estavam a precisar de algo diferente.

O trainspotting é um clássico e só isto chega :)


Comentar post

Quem manda aqui

Fresquinho fresquinho

Relações

Para ver em Abril

Preferências

Boas Festas

Música em 2009

2009 no Last.fm

Uma luz

Lista de prendas

The Past is a Grotesque A...

Novos vícios - 6

Sweet Dee has a difficult...

Boas notícias via Twitter

Cartões

Rádio

The Past is a Grotesque A...

Velharias

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Pesquisar

 

Links

O que vi...

tokyo monogatari

O que ouvi...

Feeds