Domingo, 14 de Setembro de 2008

Dicas da Semana #33

Por Rute Correia :

 

Madredeus – Electronico (2002)

 

De repente, o mundo pára. Naquele ínfimo instante de silêncio, ficamos à espera que recomece. Lá ao fundo, ouvimos uma guitarra a caminhar para junto de nós. Quando chega, traz consigo a voz das nossas vidas e uma nuvem de sons etéreos e artificiais. Já ouvimos esta canção vestida de outra forma, de algodão, linho e seda, mas o plástico da electrónica faz com que seja novidade por inteiro. Não, não é uma remistura. É uma música de tempos antigos vestida a preceito para a modernidade que aí vem.
O álbum Electronico dos Madredeus é a prova viva de que a música “tradicional” se pode misturar com os ares da electrónica, sem que se perca conteúdo ou beleza. Com a ajuda de nomes como Télépopmusik ou Craig Armstrong, os Madredeus tornam-se pais de algumas pérolas da electrónica contemporânea. Para ouvir de uma ponta a outra, sem intervalos.

 

Artistas Semelhantes: Mariza, Teresa Salgueiro, Rodrigo Leão

 

 

Trainspotting (1996)


De: Danny Boyle
Com: Ewan McGregor, Ewen Bremner, John Lee Miller, Robert Carlyle, Kelly Macdonald
 

Edimburgo, Escócia, algures no início dos anos 90.
Mark Renton e os amigos são só mais alguns dos jovens que ficaram agarrados à heroína naquela cidade. Esta é a história deles, ainda que não tenha início nem fim. Tudo começa sem que se dêem conta de que escolheram o caminho errado, ou de que alguém à sua volta o fez por si. Depois, vem o medo: do escuro, de não arranjar droga, da ressaca, da SIDA, da morte, de não conseguir largar, de não saber existir. No fim de tudo, resta apenas a verdade absoluta de que nos tornamos aquilo que escolhemos.
Com um argumento adaptado do romance de Irvine Welsh com o mesmo nome, Trainspotting é um filme intenso e envolvente. Através de vários episódios, conseguimos construir e sentir a existência de cada um dos intervenientes da acção. Pelas mãos de Renton, Begbie, Spud, Sick Boy (“Marado”), Diane e Tommy mergulhamos no submundo da década passada para perceber que a droga era o futuro que grande parte da juventude desenhava para si.


publicado por Ângela às 21:26
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Loot a 17 de Setembro de 2008 às 02:02
Gostei muito desse álbum foi algo diferente na discografia dos Madredeus e eles estavam a precisar de algo diferente.

O trainspotting é um clássico e só isto chega :)


Comentar post

Quem manda aqui


ver perfil

. 9 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fresquinho fresquinho

Relações

Para ver em Abril

Preferências

Boas Festas

Música em 2009

2009 no Last.fm

Uma luz

Lista de prendas

The Past is a Grotesque A...

Novos vícios - 6

Sweet Dee has a difficult...

Boas notícias via Twitter

Cartões

Rádio

The Past is a Grotesque A...

Pesquisar

 

Links

O que vi...

tokyo monogatari

O que ouvi...

Feeds